Feeds:
Posts
Comentários

Archive for agosto \16\-00:30 2011

Museu de Arte Contemporânea de Niterói

Arquitetura futurista de autoria de Oscar Niemeyer

Famoso pela sua arquitetura futurista projetada por Oscar Niemeyer, o Museu de Arte Contemporânea (MAC) tornou-se um dos cartões-postais de Niterói e um dos principais Museus do Brasil. Destina-se principalmente a obras pertencentes à arte contemporânea, todas datadas ao decorrer do século XX. Apresenta desde artes abstratas até obras retratando a ilusão da Monarquia Brasileira. O museu possui um acervo de 1.217 obras da Coleção João Sattamini, constituindo a segunda maior coleção de arte contemporânea do Brasil.

Localizado sobre o Mirante da Boa Viagem, na orla de Niterói, o museu com sua fachada futurística possibilita que o visitante desfrute de vistas panorâmicas que se lhe oferecem quer fora do museu, a partir do pátio, quer dentro do museu por um olhar pelo anel de janelas que divide este gigantesco prato de concreto em duas faixas.

Museu de Arte Contemporânea de Niterói

Interior de uma das galerias do MAC

O MAC ainda disponibiliza atividades educacionais, dentro outros, desde 1996, chamadas de Desafios Comunicativos da Arte Contemporânea, com o intuito, segundo a administração do museu, de incentivar a “produção artística contemporânea, que se coloca exposta em um espaço público onde circulam indivíduos não pertencentes ao mundo da arte.”

Museu de Arte Contemporânea de Niterói

Endereço: Mirante da Boa Viagem, s/ nº, Niterói
Telefone: (21) 2620-2400 / 2620-2481
Visitação: Espaço Expositivo – terça a domingo, de 10 às 18h / Pátio – segunda a domingo, de 9 às 18h
Ingresso: Normal – R$ 5,00

Visite o site oficial do museu

Fonte: Wikipedia

Read Full Post »

CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL
Rua Primeiro de Março, 66, Centro (3808-2020). 3ª a dom., das 10h às 21h. Grátis.

  • Queremos Miles – Miles Davis, Lenda do Jazz – Mais do que jazzista, Miles Davis foi uma das referências na criação e na originalidade na música do século XX. Nascido em 1926, Miles Dewey Davis Jr. revolucionou o jazz, refinando as diversas etapas de transformação do gênero ao longo da segunda metade do século. Ele morreu, envolto na lenda que ele próprio construiu e alimentou – há exatos 20 anos – no dia 28/9/91. O CCBB do Rio monta sua primeira exposição musical com essa homenagem a Davis. Concebida pela Cité de la Musique de Paris, organizada com o apoio da família e dos gestores da obra do artista, a exposição traça o percurso do músico, desde a cidade de sua infância, East St. Louis (Illinois), até os últimos anos, com fama planetária. Até 28 de setembro.

CENTRO CULTURAL DOS CORREIOS
Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro (2253-1580 ). 3ª a dom., das 12h às 19h. Grátis.

  • Claudio Aun – 40 anos de arte – As poderosas cabeças de deuses gregos e a força da mitologia, representados nas esculturas e pinturas do artista paulista Claudio Aun, nos transportam para o mundo da magia. A exposição comemora os 40 anos de atividade do artista. Até 18 de setembro.
  • Di Cavalcanti – Do desenhista ao pintor – A exposição reúne jóias, desenhos e telas assinadas pelo artista. A exposição mostra uma faceta do artista que poucos conhecem hoje em dia: ele desenhou croquis de joias, a pedido do amigo e joalheiro Lucien Finkelstein, e juntos criaram uma coleção de broches, pendentifs e anéis. Onze peças exclusivas vão estar expostas, com seus croquis originais. Até 18 de setembro.
  • Mestres da Gravura – A exposição conta com 170 obras de 80 gravadores estrangeiros, do século XV ao XVIII, apresentadas por ordem cronológica de nascimento dos gravadores e por coleção: alemã, holandesa, italiana, francesa, flamenga, inglesa, espanhola e portuguesa. As técnicas predominantes são a xilogravura (prancha de madeira) e talho-doce (prancha de metal). Até 18 de setembro.

CENTRO CULTURAL JUSTIÇA FEDERAL
Av. Rio Branco, 241, Galeria do 2º andar, Centro (3261-2550). 3ª a dom., das 12h às 19h. Grátis.

  • Galeria das Togas – A exposição, inédita no Rio de Janeiro, mostra um breve histórico da origem e evolução do uso da Toga – roupa indispensável no vestuário dos magistrados. Permanente.

CENTRO MUNICIPAL DE ARTE HÉLIO OITICICA
Rua Luís de Camões, 68 – Centro (2232-4213 / 2232-2213). 3ª a 6ª das 11h às 18h, sáb., dom. e feriados, das 11h às 17h. Grátis.

  • África ancestral e contemporânea – As artes de Benin – exposição mostra a potencialidade de um dos povos mais criativos daquele continente. Passados os séculos, esta exposição retoma a vida e a arte de Benin, mostrando seus artistas mais representativos da atualidade, mas sem esquecer a tradição, o cotidiano da vida e da cultura daquele pedaço da África – também, um dos berços fundamentais de todos os brasileiros. Até 4 de setembro.
  • Transfonteiras / Enéas Valle – Pinturas, desenhos, videoarte, colagens, objetos, esculturas e um vídeo inédito dão forma à exposição do artista plástico multimidiático Enéas Valle.a mostra reúne cerca de 50 obras e quatro vídeos, fazendo um balanço da última década de produção do artista, além de três mesas-redondas com os principais críticos de arte do país. Até 4 setembro.

CAIXA CULTURAL RIO DE JANEIRO
Av. Almirante Barroso, 25, Centro(2544-4080). 3ª a sáb., das 10h às 22h; dom., das 10h às 21h. Grátis.

  • Jogos de Guerra – Confrontos e convergências na arte contemporânea brasileira – A exposição reúne 58 artistas contemporâneos brasileiros para falar de confronto e alteridade. Arte como combate e denúncia, mas também como o jogo capaz de garantir a trégua e o entendimento. Até 28 de agosto.

MUSEU NACIONAL DE BELAS ARTES
Av. Rio Branco 199, Centro (2219-8474). 3ª a 6ª, das 10h às 18h, sáb.e dom., das 12h às 17h. R$ 5, meia-entrada R$ 2.

  • Galeria de arte brasileira moderna e contemporânea – Um amplo e rico painel da arte nacional do século 20 e dos dias de hoje, é o que aguarda o visitante. O espaço da exposição está dividido em dois andares, abrigando pinturas, esculturas, gravuras, desenhos e instalações. Exposição permanente.
  • Rio arte da animação – Para celebrar o lançamento em DVD e Blu-Ray da animação de sucesso mundial “Rio”, a Twentieth Century Fox Home Entertainment se uniu à RioFilme, à MisterToon Studios e ao Museu Nacional de Belas Artes (MNBA/IBRAM/MinC) para apresentar ao público carioca os bastidores desta deslumbrante representação da Cidade Maravilhosa. Até 11 de setembro.

MUSEU DA REPÚBLICA
Rua do Catete, 153, Catete (3235-3693). 3ª a 6ª, das 10h às 17h; sáb., dom. e feriados, das 14h às 18h. R$6; grátis 4ª e dom.

  • A República Brasileira – A exposição se divide em seis ambientes que pretendem recriar, historicamente, o período republicano. Exposição de longa duração.

MUSEU DE ARTE MODERNA DO RIO DE JANEIRO
Av. Infante Dom. Henrique, 85, Flamengo (2240-4944). 3ª a 6ª, das 12h às 18h; sáb., dom. e feriado, das 12h às 19h. R$ 8,00, estudantes e maiores de 60 anos pagam meia.

  • Algumas doações recentes – A exposição mostra ao público um óleo sobre tela de Rubem Ludolf, duas serigrafias de Leda Catunda, uma escultura do português José Pedro Croft, uma fotografia de Michel Groisman, uma acrílica e óleo sobre tela de Elizabeth Jobim, uma escultura de Maria do Carmo Secco, um trabalho em vinílica e metal sobre madeira e aglomerado de Wanda Pimentel e colagem e pva sobre cartão de Raymundo Colares. Até 14 de agosto.
  • Daniel Blaufuks – Uma única instalação com duas projeções do artista português-alemão e f otografias feitas projetadas, que dialogarão entre si, criando uma espécie de filme em loop. R$ 8. Estudantes e idosos pagam meia. Grátis para amigos do MAM e crianças de até 12 anos. Domingos ingresso família, para até 5 pessoas: R$8,00. A bilheteria fecha 30 minutos antes do término do horário de visitação. Até 21 de agosto.
  • José Resende – A exposição conta com sete esculturas em grande escala produzidas este ano pelo artista, especialmente para o Espaço Monumental do MAM. As obras são feitas em em aço, com elementos de cobre, madeira, pedra, e chegam a cinco metros de altura. Até 14 de agosto.

MUSEU HISTÓRICO NACIONAL
Praça Marechal Âncora s/nº, Centro. 3ª a 6ª, das 10h às 17h30; sáb. e dom., das 14h às 18h.

  • Exposições de longa duração – Depois de uma grande obra de recuperação, o Museu Histórico Nacional abre quatro grandes núcleos de exposição: “Oreretama”, “Portugueses no mundo: 1415-1822”, “A Construção da nação: 1822-1889”” e “A cidadania em construção: 1889 à atualidade”. As mostras abrangem da pré-história brasileira ao século XXI, incluindo obras contemporâneas de artistas como Carlos Vergara. R$6. Grátis aos dom. Até 23 de novembro.

OI FUTURO FLAMENGO
Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo (3131-3060). 3ª a dom., das 11h às 20h.

  • Órbita – Poética / Xico Chaves – A exposição multimídiaé uma panorâmica da produção do artista que, desde a década de 70, vem trabalhando com diversas mídias simultaneamente. A proposta do projeto é apresentar ao público, e em especial às novas gerações, a obra e o pensamento de um artista cuja tônica sempre foi o experimentalismo em diversas áreas, entre elas as artes visuais contemporâneas, a poesia e a música. Até 28 de agosto.
  • Museu das Telecomunicações – Documentos, objetos museológicos aliados a recursos de alta tecnologia narram a história da comunicação humana. São mais de 120 vídeos, produzidos a partir de pesquisas em cerca de 90 instituições nacionais e internacionais, peças significativas do acervo histórico do Museu/Oi Futuro que levam o visitante através de uma empolgante viagem virtual. Permanente.

Fonte: Jornal do Brasil

Read Full Post »

Museu em Juiz de Fora recebe exposição “História em Quadrões”, de Mauricio de Sousa

A Sesta, por Mauricio de Sousa

Releitura de A Sesta, de Millet, por Mauricio de Sousa

Sem qualquer trocadilho, a Turma da Mônica pinta o sete no Museu de Arte Murilo Mendes (MAMM), em Juiz de Fora (MG), a partir de 12 de agosto, quando o espaço recebe a exposição História em Quadrões – Pinturas de Mauricio de Sousa. Uma mostra, na qual o desenhista faz releituras de grandes obras-primas da história da arte mundial.

Mauricio dedicou-se a essa produção de pinturas e esculturas a partir de 1989. A proposta é estimular crianças e jovens a visitarem os museus aprendendo sobre os grandes mestres das artes e, ao mesmo tempo, se divertirem. Assim, Mônica, Cebolinha, Chico Bento, Cascão e Magali, ao lado de alguns outros tantos personagens do desenhista, fazem poses famosas numa alusão às importantes criações das artes plásticas.

Leonardo da Vinci, Michelangelo, Monet, Van Gogh e Portinari: Mauricio de Sousa voou longe e trouxe 22 obras, entre pinturas (acrílica sobre tela) e esculturas, nos quais seus personagens parodiam grandes ícones da história da humanidade. Todos expostos na galeria Convergências do MAMM.

O Museu

História em Quadrões – Pinturas de Mauricio de Sousa é realizada com o apoio da Pró-reitoria de Cultura da Universidade Federal de Juiz de Fora e fica em cartaz no Museu de Arte Murilo Mendes até 11 de setembro de 2011. As visitas acontecem de terça a sexta-feira, das 10 às 18h e aos sábados, domingos e feriados, das 13 às 18h. Toda a programação do MAMM é gratuita. Agendamentos e visitas monitoradas podem ser marcadas, com antecedência, no próprio museu.

O MAMM possui um dos mais importantes acervos de Minas Gerais, com obras assinadas por artistas como Picasso, Miró, Portinari, Vieira da Silva e Arpad Szenes. A coleção do museu espelha o poeta Murilo Mendes, evidenciando suas relações afetivas, suas reflexões sobre escrita, bem como sua atividade de crítico de arte.

O acervo bibliográfico conta com mais de 12 mil obras impressas e outras formas de expressão como correspondências, fotografias, fitas cassetes, DVD’s e recortes de jornal. O espaço possui ainda laboratórios de preservação e restauração de obras de arte, três galerias destinadas a exposições, além de contar com vários projetos de música, literatura, preservação da memória da cidade e arte-educação.

Serviço:

Exposição: História em Quadrões
Data: De 12 de agosto a 11 de setembro de 2011.
Horários: Terça a sexta-feira, das 10 às 18h e aos sábados, domingos e feriados, das 13 às 18h.
Local: Museu de Arte Murilo Mendes – R. Benjamin Constant, 790 – Juiz de Fora – MG.
Endereço: Benjamin Constant 790 Centro, Juiz de Fora- MG.

Outras informações:  www.ufjf.br/mamm

Fonte: Inteligemcia.com.br

Read Full Post »

As exposições “No Ateliê de Portinari” e “Um Outro Lugar” terão entradas gratuitas aos sábados, a partir de 6 de agosto. O horário de visitação é das 10h às 17h30, de terça-feira a domingo.

A exposição abrange o período de formação do pintor modernista e apresenta cerca de 90 obras, que foram realizadas entre os anos de 1920 e 1945. Entre as peças estão pinturas, desenhos, documentos e estudos para projetos monumentais, como o dos murais que produziu para a Fundação Hispânica da Biblioteca do Congresso, em Washington, nos Estados Unidos, em 1943.

“No Ateliê de Portinari”, fica em cartaz até 11 de setembro.

Apreendendo o período que vai de 1920 a 1945, a mostra conta com pinturas, desenhos e estudos, como o do mural que Portinari pintou para a Fundação Hispânica da Biblioteca do Congresso, em Washington, nos Estados Unidos.

Já “Um Outro Lugar” discute, por meio das obras expostas, a substituição do idealismo utópico por uma visão cotidiana e sutil das “ideias possíveis”. Também com duração até 11 de setembro, a mostra acontece na sala Paulo Figueiredo.

De terça à sexta e aos domingos, o ingresso das exposições é R$ 5,50.

Recentemente, o Museu de Arte Sacra também anunciou que aos sábados a visita seria gratuita.

Informe-se sobre a exposição “No Ateliê de Portinari”.

Fonte: Guia Folha.com

Read Full Post »

Pinacoteca do Estado de São Paulo

Fachada do prédio inconcluído da Pinacoteca

A Pinacoteca do Estado de São Paulo, é o mais antigo museu de arte do estado. O museu abriga um representativo acervo de arte, com quase oito mil peças da pintura brasileira dos séculos XIX e XX. Originalmente criada para abrigar o Liceu de Artes e Ofícios, a Pinacoteca mudou-se para o endereço atual em 1900, embora o projeto de Ramos de Azevedo e Domiciano Rossi nunca tenha sido concluído, como atestam os tijolos expostos na fachada e nos pátios internos.

Entre pinturas, esculturas, desenhos, gravuras, fotografias e tapeçarias, destacam-se a Coleção Brasiliana, integrada por trabalhos de artistas estrangeiros atuantes no Brasil ou inspirados no país, e a Coleção Nemirovsky, com um conjunto de obras-primas do Modernismo brasileiro. Também conserva um núcleo de pinturas e esculturas oitocentistas européias, além do gabinete de obras sobre papel.

Doações de famosas coleções, compõem o acervo

Recentemente, o museu recebeu, em regime de comodato, uma importante doação: a coleção José e Paulina Nemirovsky. Trata-se de uma das mais importantes coleções de arte moderna brasileira, reunindo obras-primas de alguns dos mais destacados artistas nacionais, como Tarsila do Amaral, Anita Malfatti, Victor Brecheret, Lasar Segall, Ismael Nery, Flávio de Carvalho e Vicente do Rego Monteiro. A coleção pode ser vista em exposição permanente na Estação Pinacoteca, que é um espaço instalado no bairro do Bom Retiro e também administrado pela Pinacoteca do Estado.

Fique por dentro do calendário de exposições da Pinacoteca do Estado de São Paulo

Pinacoteca do Estado de São Paulo

Endereço: Praça da Luz, 02 – Luz
Telefone: 11 3324-1000
Visitação: Aberto de terça a domingo das 10h às 17h30
Ingresso: combinado (Pinacoteca e Estação Pinacoteca): R$ 6,00 e R$ 3,00. Grátis aos sábados. Estudantes com carteirinha pagam meia entrada. Crianças com até 10 anos e idosos maiores de 60 anos não pagam.

Estação Pinacoteca

Endereço: Largo General Osório,66 – Centro
Telefone: 11 3335-4990
Visitação: Aberto de terça a domingo das 10h às 17h30

Veja uma lista completa de Museus do Brasil

Read Full Post »

Museu da Língua Portuguesa - São Paulo

O museu fica no histórico prédio da Estação da Luz

O Museu da Língua Portuguesa abriu suas portas ao público no dia 21 de março de 2006. Em seus três primeiro anos de funcionamento mais de 1.600.000 pessoas já o visitaram, consolidando-o como um dos museus mais visitados do Brasil e da América do Sul.

Idealização do espaço

Seu projeto foi avaliado em aproximadamente R$37.000.000,00 (trinta e sete milhões de reais) que foram usados para financiar a criação, pesquisa, implantação e restauro do Prédio da Estação da Luz. O projeto arquitetônico é de autoria de Pedro Mendes da Rocha e Paulo Mendes da Rocha.

O Museu contou com uma equipe de criação e pesquisa composta por mais de trinta profissionais qualificados, dentre eles sociólogos, museólogos, especialistas em língua portuguesa e artistas que trabalharam com o objetivo de criar um espaço vivo sobre a língua portuguesa, considerada como base da cultura do Brasil, onde seja possível causar surpresa nos visitantes com os aspectos inusitados e, muitas vezes, desconhecidos de sua língua materna.

Acervo com tecnologia inovadora

Apesar da palavra museu trazer a idéia de algo rústico e antigo, o Museu da Língua Portuguesa possui um acervo inovador e predominantemente virtual, combinando arte, tecnologia e interatividade. Composto das mais diversificadas exposições nas quais são utilizados objetos, vídeos, sons e imagens projetadas em grandes telas sobre a língua portuguesa, considerada do ponto de vista de patrimônio cultural dos povos lusófonos.

Viaje pelos corredores do museu, assista ao vídeo:

Fonte: Wikipedia e Museu da Língua Portuguesa

Museu da Língua Portuguesa

Endereço: Praça Da Luz, s/n°
Telefone: (11) 3326-0775
Visitação: Aberto de terça a domingo, das 10h às 18h. Bilheteria até as 17h.
Ingresso: R$6 e meia entrada. Crianças até 10 anos e adultos a partir de 60 anos não pagam.

Visite o site do Museu da Língua Portuguesa

Veja uma lista completa de Museus do Brasil

Read Full Post »

Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro

Fachada do projeto arquitetônico de Affonso Reidy

O Museu de Arte Moderna do Rio de janeiro, inaugurado em 1948, está situado em um edifício, cujo a obra é a mais conhecida do arquiteto carioca Affonso Reidy, com projeto paisagístico de Burle Marx, que seguem as orientações da arquitetura racionalista. Iniciativa de um grupo de empresários presidido por Raymundo Ottoni de Castro Maya, é uma organização particular sem fins lucrativos, palco de diversos acontecimentos de grande relevância na vanguarda artística brasileira. Atualmente, a instituição abriga importantes mostras de artistas nacionais e estrangeiros, além de conferencistas internacionais.

Anita Malfatti, O Farol de Monhegan - MAM Rio

Obra de Anita Malfatti pertencente ao acervo do museu

Mesmo perdendo grande parte de suas obras em um trágico incêndio em 1978, o museu abriga, hoje, aproximadamente 11 mil peças, dentre nacionais e estrangeiras, grande parte proveniente da Coleção do diplomata e empresário brasileiro, Gilberto Chateaubriand. Em 2005, o museu recebeu, em regime de comodato, grande parte da importante coleção do diplomata Joaquim Paiva. Atualmente, o MAM se destingue por possuir obras de importantes nomes como: Alfredo Volpi, Aluísio Carvão, Anita Malfatti, Anna Bella Geiger, Candido Portinari, Carlos Vergara, Hélio Oiticica, Iole de Freitas, Lasar Segall, Tarsila do Amaral, dentre outros.

Veja imagens do incêndio de destruiu grande parte do museu:

Fique por dentro das exposições que ocorrem no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro

MAM Rio

Endereço: Av Infante Dom Henrique, 85 – Parque do Flamengo, Rio de Janeiro.
Telefone: (21) 2240 4944
Visitação: Aberto de terça à sexta-feira das 12h às 18h. Sábado, domingo e feriados das 12h às 19h
Ingresso: Exposições R$8,00 (inclui uma sessão gratuita na cinemateca válida no dia da emissão do ingresso). Maiores de 60 anos, estudantes maiores de 12 anos e conveniados Unimed Rio R$4,00. Domingos ingresso família até 5 pessoas R$8,00.

Visite o site do MAM Rio

Read Full Post »

Older Posts »

%d blogueiros gostam disto: