Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Museus Rio de Janeiro’

O Núcleo Experimental de Educação e Arte do MAM Rio, criado pelo Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro em parceria com  a Petrobras e a Unimed-Rio, apresenta uma série de atividades em novembro, voltadas a todos os públicos.

De terça a quinta, nos dias 8, 9 e 10 de novembro, será realizado o seminário internacional “Reconfigurações do Público: Arte, Pedagogia e Participação”, um evento transdisciplinar que discutirá as perspectivas de atuação dos museus, instituições e espaços culturais alternativos no século 21. O evento, que terá mesas-redondas, oficinas e grupos de estudos, discutirá de que maneira artistas, curadores e educadores podem responder às demandas atuais da sociedade. Parceria com o departamento de educação e o programa internacional do The Museum of Modern Art – MoMA, New York, a Casa Daros Rio e o  Projeto Pedagógico da 8ª Bienal do Mercosul.

Às quartas-feiras, às 16h, serão apresentadas as “Conversas nas Exposições”, com experiências compartilhadas a partir da mostra “Louise Bourgeois: o retorno do desejo proibido”, em cartaz no museu até o dia 13 de novembro de 2011. Aos sábados, às 13h, será Genealogias do Contemporâneo, comrelações entre os artistas Cildo Meireles, Antonio Manuel e Wesley Duke Lee e também com a exposição da Elisa Bracher: ponto final sem pausas.

As “Ações Móveis”, com conversas, ateliês e jogos interpretativos em diferentes espaços do museu, provocando no público experiências com arquitetura e diferentes linguagens artísticas, serão realizadas aos sábados, às 15h.

Aos domingos, será realizado o “Território Descoberto”, às 13h, com diálogos entre o museu, o seu entorno e a cidade, a partir da arquitetura, da exposição do acervo e dos jardins, e o “Programa em Família”, às 15h, com conversas, ateliês, jogos e experiências onde adultos e crianças podem viver o museu de forma lúdica e criativa a partir da arquitetura, do jardim e das exposições.

No dia 26 de novembro, sábado, às 15h, serão realizados os “Encontros Multissensoriais”, que reunirão pessoas cegas entre os visitantes do museu, para a troca de experiências.

Saiba mais sobre a programação completa do evento clicando aqui.

Fonte: Jornal do Brasil

Read Full Post »

Começou hoje e segue até a próxima quinta-feira, dia 10, a programação do Museu da Vida dedicada ao “Paixão de ler”, projeto destinado aos amantes dos livros e aos que ainda não descobriram o prazer da leitura. Esta semana, os visitantes do Museu participam de diversas atividades que divertem e conduzem o público pelo caminho das letras.

O evento está em sua 19ª edição sob a organização da Secretaria Municipal de Cultura, integrando diversos espaços da cidade, com o tema “Crônicas do Rio”, fio condutor da campanha pelos locais que irão abrigar o projeto. A entrada é franca.

A programação do Museu da Vida inclui hoje, a partir das 13h30, Histórias na Cavalariça, no Espaço Biodescoberta. Neste sábado, às 11 horas, o Castelo da Fiocruz recebe os visitantes para conferir as “Crônicas no Castelo”, com histórias de Machado de Assis e Lima Barreto, entre outros autores. No mesmo horário, na Tenda da Ciência, haverá a atividade “Uma dose de literatura”, com apresentação de histórias e poemas. Para fechar o programa de sábado, às 14 horas, o público confere “Histórias na Cavalariça”. A programação completa está na página: www.museudavida.fiocruz.br

O Museu da Vida fica na Avenida Brasil, 4365, em Manguinhos.

 

Fonte: Jornal do Brasil

Read Full Post »

Forte São Tiago da Misericórdia, Sede do Museu Histórico Nacional

Forte São Tiago da Misericórdia, Sede do Museu Histórico Nacional

O Museu Histórico Nacional localiza-se na Praça Marechal Âncora, centro do Rio de Janeiro. O local onde se encontra era primitivamente uma ponta de terra que avançava sobre as águas da baía de Guanabara, entre as praias de Piaçaba e de Santa Luzia. Nessa ponta, os portugueses ergueram, em 1603, o Forte de São Tiago da Misericórdia, ao qual se acrescentou a Prisão do Calabouço (1693) – destinada a escravos faltosos -, a Casa do Trem (1762) – depósito do “trem de artilharia” (armas e munições) -, o Arsenal de Guerra do Rio de Janeiro (1764) e o Quartel (1835).

Na década de 1920, a ponta do Calabouço foi aterrada e reurbanizada para acolher a “Exposição Internacional comemorativa do Centenário da Independência do Brasil”. Para integrar o evento, as edificações do antigo Arsenal de Guerra foram ampliadas e embelezadas, com decoração característica da arquitetura neo-colonial.

Em 12 de outubro de 1922 foram abertas ao público, compreendendo o “Palácio das Grandes Indústrias”, um dos pavilhões mais visitados da exposição, e duas galerias do Museu Histórico Nacional, criado em agosto daquele ano pelo então presidente da República, Epitácio Pessoa (1919-1922), visando dotar o país de um museu voltado para a História do Brasil, tornando-se assim, um dos principais Museus do Brasil.

Atualmente o Museu ocupa todo o conjunto arquitetônico da antiga ponta do Calabouço, constituindo-se no mais importante museu histórico do país e em expressivo centro gerador de conhecimento. Abrigou o primeiro curso de Museologia do país, mantendo-se até aos nossos dias como referência para a constituição de importantes museus brasileiros.

Acervo conta história do país

O acervo aberto à visitação se divide em várias exposições, permanentes e temporárias. Entre as exposicões permanentes estão:

  • O Pátio dos canhões, que guarda a coleção de canhões do museu e reúne exemplares de Portugal, Inglaterra, França, Holanda e do Brasil; foi a primeira exposição do país a ter legendas em braile;
  • A exposição Portugueses no Mundo, que mostra o processo de colonização e seus desdobramentos econômico-culturais, composta de peças ligadas à navegação, às monoculturas de cana-de-açúcar e café, à mineração, à chegada da corte portuguesa no Brasil e à imigração do século XIX;
  • A exposição Do Móvel ao Automóvel: transitando pela História, que mostra 29 peças como cadeirinhas, carruagens, berlindas e os primeiros automóveis a circular no Rio de Janeiro. Uma das raridades dessa exposição é o carro Protos, pertencente ao Barão do Rio Branco e um dos dois únicos existentes no mundo.
Dom Pedro II - Delfim da Câmara

Detalhe do retrato de D. Pedro II feito por Delfim da Câmara

Além das exposições, o museu possui o maior acervo numismático e filatélico da América Latina, com cerca de 127.000 peças, entre moedas, cédulas, selos, carimbos, sinetes, medalhas e ordens honoríficas. Há várias peças raras, como a moeda Peça da Coroação, com tiragem de apenas 64 exemplares, cunhada a mando do Imperador Dom Pedro I para comemorar sua coroação, em 1822, a medalha de homenagem a Louis Pasteur, bulas dos Papas Clemente VI (século XIV) e Júlio II (séculos XV e XVI) e a Insígnia Imperial Ordem da Rosa, criada para perpetuar a memória do segundo casamento de Dom Pedro I com Dona Amélia de Leuchtenberg.

Assista o vídeo abaixo e faça uma visita ao museu!

Museu Histórico Nacional

Endereço: Praça Marechal Âncora – Próximo à Praça XV – Centro – Rio de Janeiro

Telefone: (21) 25509220 / 25509224

Visitação: De 3- a 6- Feira – das 10h às 17:30 h | Fechado às 2- feiras | Sábados, Domingos e Feriados – das 14:00h às 18:00 h

Ingressos: R$ 6,00 (seis reais)

Maiores informações no site oficial do MHN

Fonte: Wikipedia

Read Full Post »

A cidade do Rio de Janeiro possui mais de 50 museus. Dentre eles, podemos encontrar espaços tradicionais e temáticos, onde temos a oportunidade de conhecer o passado, compreender o presente e participar do planejamento do futuro, através do próprio valor patrimonial das edificações onde estão instalados.

História da arte na cidade

Para quem está a turismo ou a passagem pela cidade maravilhosa, vale a pena visitar alguns museus que contém em seus corredores, os principais acervos do país. Destacam-se entre eles: o Museu Histórico Nacional no Catete, o Museu de Arte Moderna(MAM) no Aterro do Flamengo e o Museu de Belas Artes na Cinelândia.

Diversos tipos de museus

No Rio de Janeiro existem museus sobre os mais variados temas, entre eles, personalidades, cultura, história e instituicionais. Abaixo cito alguns dos mais visitados.

Popularmente denominado como Museu da Quinta da Boa Vista, o Museu Nacional, foi fundado por D. João VI numa iniciativa para estimular o conhecimento científico no Brasil.

O Museu do Índio é a única instituição oficial no Brasil exclusivamente dedicada às culturas indígenas.

O Museu Aeroespacial, localizado no Campo dos Afonsos, berço da aviação brasileira, é o maior e mais importante museu de aviação do Brasil.

Outros espaços próximos à cidade

Ainda dentro do território do estado, podemos encontrar importantes museus. Projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, o Museu de Arte Contemporânea (MAC), tornou-se um dos cartões postais de Niterói. Em seu acervo constam mais de 1200 obras da arte contemporânea, todas datadas ao decorrer do século XX.

Instalado no Palácio de Verão de Dom Pedro II, no centro histórico de Petróplis, está o Museu Imperial. Seu acervo é constituído por peças ligadas à monarquia brasileira, incluindo mobiliário, documentos, obras de artes e objetos pessoais de integrantes da família imperial.

Conheça mais sobre o MAC e o Museu Imperial de Petrópolis.

Veja uma lista completa de museus da cidade do Rio de Janeiro.

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: